Contador de Visitas Criatividade & Combatividade!!!: Março 2012

segunda-feira, 26 de março de 2012

dica de blog!

Manolos, e Manolas...

Estou aqui para dar uma dica de blog, isso mesmo.. blog indicando outro blog..

blog ativo na cena punk, registrando as bandas ativas na Cena!!!


http://punkaquiagora.blogspot.com.br

Visitem deixem seus comentários vale a pena!! o/
Beijos
 Renats Full!

quinta-feira, 22 de março de 2012



Sim eu sei muito triste em postar isso mais esse evento foi cancelado devido a estrutura comprometida do local onde seria o evento, mais o que foi cancelado foi apenas a data o evento ainda vai rolar em breve postarei mais sobre Até! o/

 RenatsFull!

segunda-feira, 5 de março de 2012

"Rua sem nome, Barraco sem número!"



O coletivo "Somos Vivos" foi fundado pela sede de ativismo na cena punk, e nos convida para o evento "Rua sem nome, Barraco sem número" que amplia a cena não só a música punk mais também ao Rap. Documentários,exposições de Fotos e distribuição de Zines também farão parte desse festival!!


O evento irá rolar no dia 24 de março á partir das 15:00!! 


Na casa Mafalda, rua Clélia, 1745.


A entrada é 3 pilas!


Não podemos perder essa!! 


Let's Go/!

domingo, 4 de março de 2012

Entrevista com Fábio do Olho Seco




1 – Como surgiu a lendária banda Olho Seco? Com quem? E quando?

O Olho Seco foi formado em 1.980 no ensaio do Cólera e da banda Osso Oco, e no intervalo o baterista Sartana do Osso Oco continuou na bateria e como eu já tinha algumas letras começamos a levar um som, e o Redson e o Val vieram para completar a banda. Este ensaio foi na zona norte de São Paulo.

2 – Quais eram suas influências musicais e ideológicas para formar a banda?

Quando eu escutava rock, escutava Stooges, MC5 e muitas outras bandas da época. Quando apareceu o punk escutava Ramones, Sex Pistols, Clash, e eu queria fazer um som mais rápido e agressivo, e acho que o Olho Seco é isso. Nas letras coloco o que eu acho que está errado, guerras, problemas sociais etc.

3 - Sua antiga loja foi um dos principais pontos de encontro de punks. Conte-nos o por que de sua loja ter tanta importância para o movimento punk?

Abri a Punk Rock Discos em 1.979. E se não fosse a loja o punk não teria chegado aonde chegou, a maioria das bandas antigas foram formadas na loja, porque eram lá que os punks se encontravam, foi na loja que se teve a idéia de gravar um disco chamado Grito Suburbano, foi lá também que uma pessoa começou a arrumar memoráveis shows para as bandas como o do teatro Luso no Bom retiro, foi lá também que se teve a idéia de fazer o Começo do Fim do Mundo.

4 – Você tocou no festival O Começo do Fim do Mundo. Qual a importância deste festival? Você o considera uma espécie de “divisor de águas” para o movimento punk?

Imagine só, em 1.982 conseguir dois dias no Sesc da Pompéia tocando e falando sobre punk rock com 20 bandas e tudo isto de graça! Para a época foi um feito histórico, com ampla divulgação da imprensa. Lógico, depois do festival muitas pessoas queriam conhecer melhor as idéias do movimento, e depois de um grande evento como este muitas bandas se formaram.

5 – Excomungados foi uma destas bandas formadas após o festival rsrsr. Diga-me quais as diferenças mais visíveis, do movimento e música punk do final dos anos 70 e começo dos anos 80, em relação aos dias de hoje?

Excomungados! Nossa! rsrsrrs Nas primeiras bandas dificilmente alguém entrava na escola para aprender tocar algum instrumento, aprendiam um ou dois acordes e já saiam tocando. Entre os anos 80 e 90, muitos já entravam na escola para aprender a tocar melhor. O punk dos anos 80 teve mais impacto musicalmente falando porque era novidade e atualmente como o punk não morreu e só cresceu, conta com pessoas de diversas bandeiras, pessoas que se preocupam com o meio ambiente, com os animais, com o futuro do ser humano, etc.

6 – Com o processo de urbanização decorrente da revolução industrial, ocorreu o fenômeno da migração das massas para as grandes capitais do Brasil (principalmente para São Paulo), em busca de melhores condições de vida. Com isso acaba ocorrendo problemas como escassez de empregos, falta de moradias decentes e consequentemente criminalidade. Em meio da situação caótica o governo e as grandes indústrias só se aproveitaram no sentido de lucrar, ao invés de investir em outros lugares. A música “nada” aborda esse problema com esta visão? Se a música quis passar outra mensagem, por favor, nos explique.

Este país, infelizmente, sempre foi e sempre vai ser mal governado, este som eu fiz em 1.979, porque eu passava na Avenida Rio Branco e a rodoviária era nos campos Elíseos. O pessoal chegava da rodoviária, não tinha aonde ir e ficava acampado debaixo da estátua do Duque de Caxias. Eu pergunto pra você: “O que mudou de lá para cá?” Só piorou. As pessoas deixam familiares nas suas terras natais e vem tentar a sorte nos grandes centros urbanos, só que este não tem estrutura para abrigar tanta gente! Isto só aumenta a miséria, criminalidade, desemprego, falta de moradia, eu não vejo dignidade em morar debaixo de pontes ou na favela no meio dos ratos!

O que deveria ser feito? Os governantes dar muitos incentivos para as empresas tanto nacionais como multinacionais para se instalar nas regiões mais pobres do país. È sobre isto que quero falar na música “Nada”, que nada mais é que uma crítica a esta situação.


7 – Valeu Fabião pela atenção, e por tudo que fez e ainda faz pela nossa cena, para terminar, deixe uma mensagem para os leitores do blog da Sub punk.

Continue lutando pelo seu ideal, faça seu sonho se tornar realidade, estude bastante, não espere nada deste país, ele não vai te dar nada em troca.